Mal a Capcom anunciou e já temos aqui para todo mundo: Black Command é um novo jogo de estratégia militar tática em tempo real lançado para dispositivos móveis. Seu principal atrativo é um curioso funcionamento da ação, mostrando o mapa e as tropas como se estivéssemos dando ordens remotamente por um sistema de radar e GPS.

Black Command engana, pois o que parece ser uma boba proposta tem muito mais profundidade do que aparenta pelo visual. A ação se representa em um mapa tático como se estivéssemos visualizando através de um satélite com geolocalização, podendo dar ordens a nossas tropas em tempo real sobre o cenário, apesar da ação ser pausada quando pararmos para escolher o que fazer. A partir daí é que a coisa vai complicando.

Os combates se resolvem automaticamente mediante umas pequenas vinhetas animadas, mas o que importa é a forma de cumprir cada missão. A partir da familiar fórmula de evitar o ângulo de visão dos inimigos, devemos buscar a melhor forma de emboscá-los. Para isso poderemos tanto diminuir a velocidade de nosso passo como utilizar os acidentes geográficos para nosso benefício. Sem ir mais longe, determinados pontos estratégicos nos permitirão atirar de sniper, aumentando enormemente o alcance e evitando o conflito direto.

Todo este sistema se engloba em uma grande campanha na qual, sobre um mapa geral, poderemos escolher quais missões realizar a partir de seus requerimentos. As balas são o bem mais precioso, já que o combate direto fará gastar mais munição. Por outro lado, o dinheiro obtido em cada missão nos servirá para equipar melhor nossos mercenários, que podem morrer e aí terão que ser substituídos por novos membros.

Agora bem, é guerra à japonesa e suas interpretações das coisas. Não dá para entender como que durante o jogo nos acompanha quase que permanentemente uma vertiginosa progressão de jazz. Ou a galera fazendo um brofist ao acabar com meio cento de insurgentes talibãs. Série B para paladares pouco (ou muito) exigentes.

Black Command é, no mínimo, original. E vindo da divisão japonesa da Capcom não tem como ter um adjetivo melhor. Estamos ante um jogo de estratégia divertido que traz uma fórmula muito conhecida, só que de forma muito divertida para dispositivos móveis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here